terça-feira, abril 04, 2006

Política à italiana

Ainda segundo a Lusa:

«A linguagem utilizada na campanha para as eleições gerais italianas desceu hoje mais uns pontos em termos de vulgaridade, quando o primeiro-ministro Sílvio Berlusconi utilizou o calão "coglioni" para descrever quem votasse na oposição.

"Tenho demasiado respeito pela inteligência dos italianos para acreditar que haja tantos 'coglioni' que votem contra os seus interesses", disse Berlusconi num encontro com uma associação de comerciantes italianos.

A palavra "coglioni" - calão para testículos - é um insulto utilizado para minimizar a inteligência de alguém.

Depois do "idiota útil" dirigido segunda-feira à noite ao líder da oposição Romano Prodi, que acabara de o comparar a "um bêbado", durante um debate televisivo, Berlusconi voltou hoje à carga com um calão pesado "mas eficaz", como ele próprio afirmou.

Um comunicado emitido por políticos de centro-esquerda reage, afirmando que "Berlusconi confirma-se como um homem vulgar e grosseiro", e o antigo procurador anti-corrupção António di Pietro sublinhou que "mais vale 'coglioni' que Berlusconi".

Mas as vulgaridades linguísticas ganharam já lugar por direito próprio na política italiana, e esta campanha não é excepção, como, por exemplo, quando Alessandra Mussolini, neta do ditador e aliada de Berlusconi, afirmou na televisão que "mais vale ser fascista que maricas (homossexual)".

"Porco", "delinquente político", "bobo", "louco" ou "mentiroso" são apenas alguns dos epítetos com que se mimoseiam os participantes nesta campanha eleitoral.

As imagens pessoais são também objecto do discurso político, como quando Berlusconi tratou Piero Fassino, secretário-geral dos Democratas de Esquerda (PDS), principal partido da oposição, de "padrinho para as pompas fúnebres" devido à sua magreza.

O primeiro-ministro não perde também uma ocasião para brincar com a aparência pouco "telegénica" do líder da oposição, Romano Prodi.

Prodi, aliás, responde-lhe na mesma moeda, como quando afirma, por exemplo, que "as únicas grandes obras realizadas por Berlusconi foram o seu lifting e os seus implantes" capilares. Sugeriu-lhe também que subisse a uma cadeira, porque talvez assim pudesse ter "um ar mais importante", numa alusão à baixa estatura do chefe de Governo.»

Comments:
Talvez seja verdade que "mais vale 'coglioni' que Berlusconi", mas foi por pouco, por muito pouco mesmo...
 
Enviar um comentário



<< Home

This page is powered by Blogger. Isn't yours?