quinta-feira, julho 06, 2006

Dúvidas metafísicas...

Por que é que ser liberal, na América, é ser de esquerda, e na Europa, é ser de direita?

O mundo de pernas para o ar (I)

PCP e o BE "choram" a saída de Freitas do Amaral do Governo...

quarta-feira, junho 21, 2006

Como mandar passear um PR recém-eleito e c/ popularidade em alta

Ontem, no seu roteiro para a Ciência, Cavaco Silva propôs a criação de um Provedor para as PME's (uma espécie de reedição mitigada da sua célebre sugestão, em plena campanha eleitoral, de criação de uma Secretaria de Estado para as PME's).

Poucas horas depois, o Presidente da Associação Portuguesa de PME's veio dizer que não queria um Provedor para nada, que isso só serviria para criar mais um job, e que o que era preciso era uma reforma administrativa!

sexta-feira, junho 09, 2006

Patinha Antão mata Marques Mendes

Vamos por partes:

A Autoridade da Concorrência (AdC) chumbou a operação de concentração entre a BRISA e a Auto-Estradas do Oeste.

A BRISA, no exercício de um direito legalmente consagrado, recorreu desta decisão para o Ministro da Economia.

O Ministro da Economia tinha, pois, no uso da competência que lhe é atribuída por lei, duas possibilidades: ou dava razão à AdC, ou à BRISA.

Ora, optando por uma das duas decisões que a lei o autorizava a tomar, o Ministro da Economia deu razão à BRISA.

Foi quanto bastou para que Marques Mendes viesse afirmar: «Pinho matou a AdC»

Sucede, porém, que Mário Patinha Antão - deputado social-democrata e presidente da comissão parlamentar de orçamento e finanças - elogiou a decisão de Manuel Pinho, que considerou «bem fundamentada».

Não será caso, então, para dizer que «Patinha Antão matou Marques Mendes»?

terça-feira, junho 06, 2006

"Lata" política

Não vi, mas disseram-me que, no passado Domingo, o Prof. Marcelo se insurgiu contra o documento assinado pelo Governo e pela ANF com base no facto de ele versar sobre matérias que são da competência da Assembleia da República.

Isto dito pela mesma pessoa que, enquanto líder do PSD, negociou um acordo de revisão constitucional nas costas do Parlamento, num quaquer quarto de hotel...

Chama-se a isto "ter muita lata"!!!

quarta-feira, maio 24, 2006

O Congresso do PSD

foi tão morno, tão morno, tão morno, que quase não dei por ele...

E, afinal de contas, serviu para alguma coisa? A entrada de três novos elementos para a Comissão Política (que, ainda para mais, estão longe de ser pesos-pesados) justificava uma reunião magna do Partido durante três dias???

terça-feira, maio 23, 2006

Themenklau

E, de repente, instalou-se a ideia de que o Governo é um salteador que rouba as ideias políticas alheias.

Percebia que assim fosse caso as ditas ideias tivessem sido previamente enunciadas por alguém. Mas não é o caso: o Governo promove novas medidas, que ninguém ainda tinha proposto. Simplesmente, o PSD acha que tais ideias lhe pertenciam por natureza (mesmo que nunca as tenha sugerido) e que não podem ser utilizadas por mais ninguém sem que isso represente um esbulho.

Fico com uma dúvida: acaso as ideias políticas têm título de registo de propriedade? Como pode o PSD acusar o Governo de lhe roubar algo que ele nunca demonstrou ter (mas que acha que deveria ser seu e não de outros)?

sexta-feira, maio 19, 2006

Entre a espada e a parede

Se Marques Mendes tenta fazer uma oposição minimamente séria e responsável, logo Luís Filipe Menezes o acusa de ser um líder frouxo.

Se, pelo contrário, Marques Mendes cede ao populismo e à crítica fácil, logo Manuela Ferreira Leite se desmarca e o acusa de ser demagógico.

O Congresso não se adivinha fácil, não...

quarta-feira, maio 17, 2006

Ministério [da Moral] Públic[a]

Ao que parece, segundo o relato aqui feito pelo advogado de Teresa e Helena (as duas portuguesas cujo casamento foi recusado pela Conservatória do Registo Civil de Lisboa e que decidiram recorrer dessa mesma decisão), o Procurador responsável pelas contra-alegações do Ministério Público no recurso por elas interposto para o Tribunal da Relação entendeu por bem tecer as seguintes considerações sobre o caso:

«o casamento é o ponto de partida para a família» e «é preferencialmente no seio do casamento que deve ser feita a procriação»

Mas em que ano é que o Digníssimo Procurador vive? E a que propósito defende ele tais pontos de vista? Resultam da lei ou da Constituição? Haverá alguma norma jurídica a prescrever que a procriação seja feita "preferencialmente" no seio do casamento? Estará o Sr. Procurador a defender a lei, como é sua função, ou antes a impingir-nos a sua moral e os seus mandamentos éticos como se de imperativos legais e universais se tratassem?

Piada do Ano

Ao que parece, o Conselho de Jurisdição Nacional do PSD (ie, o órgão de aplicação da justiça no interior do PSD) vai ser liderado pelo santanista Rui Gomes da Silva. Sim, esse mesmo, o:

- ex-Ministro dos Assuntos Parlamentares plenamente respeitador da ética democrática, que "alegadamente" pressionou a TVI a silenciar Marcelo Rebelo de Sousa;
- advogado repleto de brio e deontologia profissional que "alegadamente" arrendou (para lá morar) uma casa à ex-mulher de um cliente seu, depois de este o ter contratado para recuperar à referida ex-mulher essa mesmíssima casa.

Será que já não há vergonha?

terça-feira, maio 16, 2006

"Emoção" ao rubro no PSD

Na questão das maternidades, Manuela Ferreira Leite acusou Marques Mendes de ser demagógico e emotivo.

Marques Mendes ainda não reagiu publicamente a estas acusações. Ao que parece, ficou amuado!

Bem prega Frei Tomás...

Segundo o DN de hoje, «PSD, CDS/PP e CDU desrespeitaram as regras estabelecidas pela Entidade das Contas e Financiamentos Políticos (ECFP) por não indicarem toda a informação contabilística relativa à campanha para as autárquicas»

segunda-feira, maio 15, 2006

Carrocel da Oposição

Ribeiro e Castro convocou um Congresso para re-confirmar a sua eleição directa, a qual visava confirmar a sua eleição em Congresso.

Marques Mendes vai realizar no próximo fim-de-semana um Congresso para reforçar a sua eleição directa, a qual visava confirmar a sua eleição em Congresso.

E, afinal de contas, para que serve este Carrocel, esta "pescadinha de rabo na boca"? No caso de Ribeiro e Castro, por exemplo, a experiência não correu muito bem: depois de dar voltas e voltas, parece que ficou tonto e claramente saiu pior do que entrou...

Partido partido

O CDS-PP é, por estes dias, duplamente Partido.

Não só porque, como observa Pacheco Pereira, dentro dele convivem (toleram-se) dois Partidos: o Partido CDS e o Partido PP. Mas também porque, como salta à vista, é o próprio Partido que se encontra diametralmente partido.

domingo, maio 14, 2006

A Moção de Mendes #11

«Forçoso é também reconhecer que, com maior ou menor despudor, as forças políticas que detém qualquer tipo de poder não têm resistido ao preenchimento de cargos e lugares mais em função de cumplicidades ou fidelidades partidárias e menos em obediência a estritos critérios de competência e capacidade»

Marques Mendes dixit, certamente ainda imbuído do espírito de sinceridade, auto-crítica (e arrependimento?) de que já aqui demos nota. Senão, pense-se na nomeação do compagnon de route Azevedo Soares (jovem reformado da Marinha) para as Águas de Portugal; ou ainda na contratação da ex-assessora de imprensa de MM para a mesma empresa.

E, já agora, estaria também MM a pensar nas recentes nomeações do Presidente Cavaco para o Conselho de Estado? É que essas também parecem ter sido «mais em função de cumplicidades ou fidelidades partidárias» ...

sexta-feira, maio 12, 2006

A Moção de Mendes #10

Marques Mendes sugere que «seja aprovado um código de ética e de conduta, aplicável aos deputados e aos governantes, que à semelhança do que ocorre em democracias mais maduras constitua uma referência de boas práticas prestigiando e dignificando o próprio exercício de funções no Estado»

Não podia estar mais de acordo. Mas, já agora, fica uma perguntinha: será que este Código de Ética e Conduta é para se aplicar também à Madeira, onde, segundo o Público de ontem (vd. tb aqui),

- vigora um regime de incompatibilidades dos Deputados Regionais altamente permissivo e sem qualquer comparação com o vigente na Assembleia da República e na Assembleia Legislativa Regional dos Açores? De tal forma que, como aqui se denuncia, se aplicado à Madeira o regime em vigor no Continente, a grande maioria dos Deputados Regionais do PSD seriam considerados incompatíveis, devido às ocupações (muitas delas ligadas ao poder laranja da região) que exercem...

- um projecto de novo regime de incompatibilidades preparado pelo Prof. Jorge Miranda continua na gaveta há 3 legislaturas, ie, há cerca de 10 anos!? Projecto esse onde se previa a criação de uma comissão de ética e de um registo de interesses, há muito existentes no Parlamento nacional, mas totalmente desconhecidos na RAMadeira?

- e, finalmente, onde não se aplica - por teimosia e temor do PSD ao Alberto João - o regime de limitação de mandatos aprovado pelo Parlamento no ano passado?

Quererá o dr. MM fazer da Madeira uma «referência de boas práticas» democráticas, ou nem por isso???

quinta-feira, maio 11, 2006

A Justiça de Mendes (III)

Em matéria de Justiça, MM propõe ainda:

- eliminar os vícios da Acção Executiva: e quem é que os criou? Quem é que lançou uma reforma sem ter no terreno os instrumentos e meios minimamente essenciais para que a dita reforma funcionasse e produzisse efeitos (juízos de execução devidamente instalados, secretarias de execução correctamente dimensionadas para a procura, um n.º razoável de solicitadores de execução, programa informáticos em condições, armazéns para bens penhorados, etc., etc., etc.)? O nome Celeste Cardona diz alguma coisa???

- promover a defesa intransigente dos direitos, liberdades e garantias no processo penal: os direitos, liberdades e garantias de quem? Das vítimas ou dos (alegados) criminosos?

- reorganizar as competências da PJ e do MP de modo a maximizar a eficiência dos meios humanos e técnicos ao dispor da investigação criminal: pois, mas reorganizar de que modo e em que sentido???

- Desformalizar actos e desburocratizar as relações entre o Cidadão e a Justiça: onde é que eu já ouvi isto antes?...

quarta-feira, maio 10, 2006

A Justiça de Mendes (II)

Em matéria de Justiça, Marques Mendes (MM) propõe:

- «combater a instabilidade e a prolixidade legislativa, caracterizadas pela ausência de estudos e falta de qualidade». Será que MM já ouviu falar do teste SIMPLEX?

- «promover a reorganização judiciária e criar o Gabinete do Juiz». E onde estava MM durante o 3 anos da governação PSD em que não se procedeu à tão falada (e há muito aguardada) alteração do "mapa judiciário"? E, quando o Governo mexer nessa matéria, irá MM apoiar ou irá alinhar oportunisticamente com os (expectáveis) protestos locais e fazer a "peixaria" que está actualmente a fazer quantos às Maternidades? E quanto ao Gabinete do Juiz, é para ficar vazio a acumular processos ou é para lá ter assessores que auxiliem as tarefas dos Juízes? E, neste último caso, irá o PSD ser coerente e apoiar a contratação de assessores para tais gabinetes ou, quando der jeito, irá queixar-se que o Governo aumenta, em vez de diminuir, os funcionários públicos?

- «apostar decisivamente na formação e especialização dos magistrados, advogados, solicitadores e funcionários, criando uma cultura judiciária comum». Como é que se quer apostar na especialização criando uma cultura comum???

continua...

A Justiça de Mendes (I)

Ainda na Moção, Marques Mendes queixa-se que «durante um ano o Governo não apresentou nenhuma reforma de fundo no domínio da Justiça. Ao contrário, foi o PSD a propor um conjunto alargado de mudanças e de reformas - sobretudo nos domínios penal, processual penal, do sistema prisional e da formação de magistrados».

Resta saber se estas propostas são verdadeiramente inovadoras, ou se não passam de autênticos "clones" das alterações que o Governo já há muito anunciou que iria apresentar, precisamente (et pour cause) nos domínios penal, processual penal, do sistema prisional e da formação de magistrados!!!

Pelo que se tem visto na Comunicação Social, parece que - de facto - as propostas do PSD coincidem com as que o Governo tem vindo a anunciar. Ao menos, pode ser que assim o dr. Marques Mendes consiga alguns entendimentos com o PS e, por essa via, se aproxime do tão almejado "Pacto sobre a Justiça".

Afinal, não há melhor forma de "pactualizar" do que copiar antecipadamente a outra parte e depois chegar a acordo com ela sobre aquilo que ela mesma, desde o início, sempre sustentou...

terça-feira, maio 09, 2006

A Moção de Mendes #9

Em matéria de política de cidades, diz a moção o seguinte:

«Deve ser fundamental que as cidades portuguesas sejam mais competitivas, mais inovadoras, tenham um melhor ambiente, mais segurança e promovam laços sociais de modo a exercer plenamente a cidadania.
Deve, também, ser fundamental preservar e valorizar os recursos e valores naturais, ecológicos e patrimoniais que se cruzam nas cidades e que são vitais para um desenvolvimento sustentável do País.
Deve, igualmente, ser fundamental o reforço do poder local e dos desafios que decorrem de processos de descentralização, os quais se devem consolidar em cidades dinâmicas e qualificadas.
Deve, ainda, ser fundamental a afirmação do sistema urbano nacional, fortalecendo a presença do nosso País na Europa»

Pois, pois, dr. Marques Mendes, "deve ser" fundamental... Mas como é que se faz?

A Moção de Mendes #8

De vez em quando, a "boca foge para a verdade". Acontece a todos... Acontece também a Marques Mendes, que - falando acerca da descentralização administrativa - comete o seguinte deslize:

«no momento em que se tornava indispensável centralizar funções com as novas Áreas Metropolitanas e Comunidades Urbanas, o Governo oferece, passivamente, a sua resistência centralista e centralizadora» (negrito nosso)

Afinal de contas, dr. Marques Mendes, o que é que pretende: descentralizar ou, antes, centralizar? E quem é que é o "centralista e centralizador", afinal? E, já agora, quem é que quer e quem é que não quer a regionalização?

A Moção de Mendes #7

Prosseguindo na análise da moção apresentada por Marques Mendes (MM) ao próximo Congresso do PSD, encontramos um surpreendente come-back aos tempos "áureos" do Santanismo. Então não é que MM se propõe apresentar um «Programa de Relocalização de vários serviços públicos, transferindo-os de Lisboa para várias regiões do País»?!

Quererá o PSD re-colocar a Secretaria de Estado da Educação em Aveiro, ou a Secretaria de Estado dos Bens Culturais em Évora, ou ainda a tão disputada Secretaria de Estado da Agricultura entre Santarém e a Golegã? Será que o PSD já não se lembra do péssimo resultado que essa brincadeira deu?

segunda-feira, maio 08, 2006

A Moção de Mendes #6

Isto estava a correr tão bem, de forma tão sincera... Mas pronto, logo tinham de vir a presunção e o delírio para estragar tudo:

«o PSD deu o seu melhor contributo para um desenvolvimento mais harmonioso de Portugal, construindo as grandes infraestruturas que desencravaram os territórios do interior, criando programas de incentivos ao investimento nas regiões mais pobres»

Será também por isso, para desenvolver o interior, que o PSD quer acabar com as SCUT's???

A Moção de Mendes #5

Prosseguindo no registo de sinceridade e a jeito de "acto de contrição", Marques Mendes desabafa:

«a partir do ano 2001, o nosso País começou a apresentar níveis de crescimento económico que se situaram entre os mais baixos da U.E., tendo em consequência entrado numa rota de divergência face ao conjunto da União»

Notem bem: "a partir de 2001"!!!!! Pela primeira vez, Marques Mendes não faz dos Governos de António Guterres o bode expiatório, nem atira as culpas todas para o PS, antes assume a sua própria responsabilidade, enquanto membro do Governo que foi entre inícios de 2002 e meados de 2004.

Chega a ser comovente, tanta honestidade por parte do líder da Oposição...

Antagonismos & Militâncias

No CDS, acabou o "antagonismo militante".

A partir de agora, haverá "militância antagonista".

sábado, maio 06, 2006

Para bom entendedor...

Inês Pedrosa, escritora e ex-mandatária da candidatura de Manuel Alegre à Presidência da República, foi questionada pelo DN sobre se, caso fosse Deputada, também faltaria à votação no Parlamento (pg. 8 da Revista NS que saiu com o DN do passado dia 29 de Abril).

Eis a resposta:

«Nunca. Mas pior do que faltar é assinar o ponto e ir embora. Isso então, jamais faria»

Estaria Inês Pedrosa a pensar nalgum Deputado em particular?...

sexta-feira, maio 05, 2006

A Moção de Mendes #4

«Os Partidos que exerceram o Poder desde a instauração da Democracia têm uma grande responsabilidade no estado a que chegou a Justiça (...) O nosso Partido não enjeita essa responsabilidade» (p. 24)

Pelo menos, há que louvar a honestidade!

quinta-feira, maio 04, 2006

"DEMOCRACIA INTERNA", by PSD (cont.)

regra n.º 2: para garantir uma ampla representatividade, uma forte legitimidade democrática e uma incontestada autoridade interna da personalidade eleita, o método adoptado é o do sufrágio directo, secreto e universal... em candidato único!

"DEMOCRACIA INTERNA", by PSD

regra n.º 1: Quem se atreve a candidatar-se contra o líder, arrisca-se a um processo-crime na Procuradoria-Geral da República!

quarta-feira, maio 03, 2006

A tristeza de Alegre...

... é ainda não ter percebido (diferentemente de Soares ou Cavaco) que os resultados das eleições presidenciais se esgotaram e extinguiram no próprio dia das eleições. Continua a considerar-se "dono" de um milhão de votos que, em bom rigor, nunca foram "seus", antes resultando de uma agregação meramente conjuntural, ditada por uma lógica de exclusão de hipóteses!

A gaveta de Alegre

Há quem guarde o dinheiro debaixo do colchão.

Manuel Alegre guarda os "seus" votos dentro da gaveta.

(o problema é que, tal como o dinheiro debaixo do colchão não rende, também os votos dentro da gaveta de pouco ou nada servem; e resta saber se por lá permanecerão...)

1.000.000 votos trancados a sete chaves

Manuel Alegre diz que é «uma gaveta fechada com um milhão de votos lá dentro».

É bom que tranque a dita gaveta à chave, e depressa, não vão os votos querer zarpar de lá para fora.

Aliás, depois do recente episódio "assina e foge", nada nos garante que - mesmo com trancas à gaveta - uns quantos votos não se tenham já escapulido pelas frinchas...

terça-feira, maio 02, 2006

Economia para quê? (III)

Para Marques Mendes, não tendo o Ministro da Economia comentado os relatórios do FMI e da OCDE, tal significa que o respectivo cargo é dispensável!

Ora, uma vez que Marques Mendes ainda não se pronunciou sobre a reforma da Segurança Social proposta pelo Governo, será que o seu cargo de líder da Oposição também é dispensável???

Economia para quê? (II)

Segundo Marques Mendes, não precisamos de um Ministério da Economia.

Se calhar bastava uma Secretariazita de Estado, uma comissãozinha ad-hoc, ou uma qualquer Estrutura de Missão temporária; e, assim, sempre se poupavam uns dinheiritos...

Sempre a pensar no melhor para as finanças públicas, este Mendes! O que seria do país sem estas ideias verdadeiramente geniais do nosso querido Mendes...

Economia para quê? (I)

Marques Mendes sugeriu a extinção do cargo de Ministro da Economia.

Sim, realmente, para que é que nos interessa a Economia?

A Moção de Mendes #3

Segundo Marques Mendes, «o PSD propõe que se diga toda a verdade aos Portugueses, que se diga que estamos a viver acima das nossas possibilidades, que a produtividade da nossa economia é baixa, que a qualificação dos nossos recursos humanos é insuficiente, que temos de trabalhar mais e melhor se quisermos manter o actual nível de vida e, até, desenvolvê-lo».

Pronto, não há hipótese: com este discurso, o lugar de Primeiro-Ministro está garantido em 2009!

A Moção de Mendes #2

A fls. 21 da sua Moção, Marques Mendes interroga-se: «onde estão as políticas que permitam tranquilizar os Portugueses sobre a sustentabilidade do nosso sistema de Segurança Social»?

E eu interrogo-me: será que Marques Mendes não lê os jornais? não vê o telejornal?

Bom, mas sejamos justos: a verdade é que a Moção foi entregue a 26/4 e a reforma da Segurança Social foi anunciada pelo Primeiro-Ministro no Parlamento a 27/4. O que significa que Marques Mendes tem razões para estar contente: o Governo responde de forma extraordinariamente célere às suas inquetações. De que se queixa o líder da Oposição, afinal?

Animal

Marcelo Rebelo de Sousa diz que Marques Mendes não é um animal de televisão. Será o quê, então?

Um animal de rádio?

A Moção de Mendes #1

Ocupei parte do fim-de-semana prolongado a ler a Moção que Marques Mendes apresentou ao Congresso do PSD.

Confesso que fiquei impressionado. Para começar, trata-se de um texto mal virgulado, cujo sujeito oscila indiscriminadamente entre a primeira pessoa do singular e do plural, e que se propõe «terminar com o conservadíssimo instalado» (p. 19), num país com «fronteiras inalteradas à cerca de oito séculos» (p. 11).

Parece que Marques Mendes tanto quer apelar ao Português médio que até já começou a escrever como ele...

sexta-feira, abril 28, 2006

"melhor" para quem?

"I'm the decider, and I decide what's best. And what's best is for Don Rumsfeld to remain as the secretary of defense." PRESIDENT BUSH

Procriação a bem da Nação

O Grupo Parlamentar do CDS contribuiu com 3 filhos para a sustentabilidade da Segurança Social.

É impressionante como estes Deputados se sacrificam pelo bem comum! Como se esforçam para preservar as nossas reformas! Isto é que se chama servir o País e os Portugueses! Viva o CDS!

Coerência política

Marques Mendes ao DE (26/04/2006): «Acho um erro que o Governo queira lançar, nesta fase, a OTA e o TGV»

Marques Mendes, na moção que apresentou ao Congresso do PSD (em 26/04/2006): «principais linhas de força da Política de Coesão Nacional que defendemos: (...) concretizar as ligações ferroviárias rápidas entre a Galiza e o Algarve e entre Lisboa e Madrid, não esquecendo a componente de mercadorias»

quinta-feira, abril 20, 2006

Pior? Pior do que o quê?

Marques Mendes apregoa que o país está muito pior do que antes e que com este Governo as coisas só pioraram.

O problema é que este discurso não é credível e ninguém o engole. E porquê?

Porque, se levado às últimas consequências, este raciocínio equivale a dizer que estaríamos muito melhor servidos com o Governo de Santana Lopes do que com o actual. E isso ninguém acredita, nem mesmo no PSD (salvo, claro está, a entourage do próprio Santana)

quinta-feira, abril 13, 2006

Falta de Quórum II

Pronto, acho que já consegui recuperar a boa disposição:

Sabem qual é o periódico mais procurado na AR? A «Gazeta»!!!

Mea Culpa

Tenho a televisão ligada e estou na net; para além disso, estive há pouco a ler os jornais do dia.

Conclusão: sou um pecador empedernido!

Falta de Quórum

Apetecia-me mandar umas bocas sobre a falta de quórum na AR. Mas não consigo. Estou indignado!!!

230 Deputados e metade não se digna aparecer para votar!!! Francamente!

terça-feira, abril 11, 2006

O que não se compreende

no resultado das eleições italianas não é tanto a fraquíssima e meramente tangencial vitória de Romano Prodi, mas antes a votação e o quase empate alcançado por Sílvio Berlusconi.

quinta-feira, abril 06, 2006

Assim anda a nossa Justiça

- Eu demiti-te primeiro.

- Não, eu é que me demiti primeiro.

- Não, não, antes de tu te demitires, eu já te tinha demitido.

- Não, não, antes de tu me demitires, já eu me queria demitir.

- Mas antes de tu dizeres que te querias demitir, já eu te tinha demitido.

- Mas, ainda antes disso, já eu pensava em demitir-me, e até o andei a dizer aí pelos jornais.

- Pois, por isso é que, quando te demitiste, já eu tinha assinado a tua demissão.

-...

terça-feira, abril 04, 2006

Política à italiana

Ainda segundo a Lusa:

«A linguagem utilizada na campanha para as eleições gerais italianas desceu hoje mais uns pontos em termos de vulgaridade, quando o primeiro-ministro Sílvio Berlusconi utilizou o calão "coglioni" para descrever quem votasse na oposição.

"Tenho demasiado respeito pela inteligência dos italianos para acreditar que haja tantos 'coglioni' que votem contra os seus interesses", disse Berlusconi num encontro com uma associação de comerciantes italianos.

A palavra "coglioni" - calão para testículos - é um insulto utilizado para minimizar a inteligência de alguém.

Depois do "idiota útil" dirigido segunda-feira à noite ao líder da oposição Romano Prodi, que acabara de o comparar a "um bêbado", durante um debate televisivo, Berlusconi voltou hoje à carga com um calão pesado "mas eficaz", como ele próprio afirmou.

Um comunicado emitido por políticos de centro-esquerda reage, afirmando que "Berlusconi confirma-se como um homem vulgar e grosseiro", e o antigo procurador anti-corrupção António di Pietro sublinhou que "mais vale 'coglioni' que Berlusconi".

Mas as vulgaridades linguísticas ganharam já lugar por direito próprio na política italiana, e esta campanha não é excepção, como, por exemplo, quando Alessandra Mussolini, neta do ditador e aliada de Berlusconi, afirmou na televisão que "mais vale ser fascista que maricas (homossexual)".

"Porco", "delinquente político", "bobo", "louco" ou "mentiroso" são apenas alguns dos epítetos com que se mimoseiam os participantes nesta campanha eleitoral.

As imagens pessoais são também objecto do discurso político, como quando Berlusconi tratou Piero Fassino, secretário-geral dos Democratas de Esquerda (PDS), principal partido da oposição, de "padrinho para as pompas fúnebres" devido à sua magreza.

O primeiro-ministro não perde também uma ocasião para brincar com a aparência pouco "telegénica" do líder da oposição, Romano Prodi.

Prodi, aliás, responde-lhe na mesma moeda, como quando afirma, por exemplo, que "as únicas grandes obras realizadas por Berlusconi foram o seu lifting e os seus implantes" capilares. Sugeriu-lhe também que subisse a uma cadeira, porque talvez assim pudesse ter "um ar mais importante", numa alusão à baixa estatura do chefe de Governo.»

O Presidente e a Constituição

Segundo a Lusa, «a Constituição da República, cujos 30 anos se assinalaram domingo, está ausente da página na Internet da Presidência da República, que optou por incluir um texto interpretativo sobre as funções do chefe do Estado».

O "texto interpretativo" em vez do "texto autêntico" não é um bom presságio...

segunda-feira, abril 03, 2006

Falar do que não se sabe

Dá-me impressão que para aí 80% das pessoas que ontem (a propósito dos 30 anos da Constituição de 76) se pronunciaram sobre o texto constitucional, clamando pela urgente necessidade de o rever, nunca sequer se deram ao trabalho de o ler...

A contrario sensu...

Miguel Frasquilho considera que o valor do défice de 2005, agora apurado (6,2%), constitui a primeira grande derrota do Governo.

A contrario, reconhece o Sr. Deputado, portanto, que até ao momento o Governo só tem somado vitórias ou, quanto muito, pequeninas derrotas. E, pelo caminho, o dito Deputado contraria e desmente o discurso catastrofista que o líder do seu partido tem vindo a fazer.

Quando a boca (dos Deputados do PSD) foge para a verdade... até Marques Mendes deve estremecer!

quinta-feira, março 30, 2006

Caça ao Lobbying

«The Senate on Wednesday overwhelmingly passed the first major restrictions on lobbying in more than a decade, banning lobbyists from giving gifts and meals to lawmakers and tightening rules for pet projects known as earmarks». From The New York Times.

Bem sei que a nossa realidade é bem diferente (mas também potencialmente mais perigosa, visto que tudo se passa de forma encapotada). Ainda assim, para quando idênticas preocupações cá pelo burgo?

Simplex (II)

Um porta-voz do PSD criticou o Programa Simplex porque "não responde àquilo que preocupa os Portugueses".

Ai agora os Portugueses não se preocupam com a burocracia, a papelada, o tempo de espera, etc.? Preocupam-se com o quê, então? Com as directas? Com as inerências na direcção do PSD? Com a expulsão de militantes?

Não será antes o PSD que não faz ideia daquilo que realmente preocupa os Portugueses?

Simplex (I)

Ribeiro e Castro sobre o programa Simplex:

«Parece propagandex, à Sócratex, mas se for verdadex, é bonzex»

É caso para dizer que são as declarações de um ex.

quinta-feira, março 23, 2006

Como foi que disse?!?

«Adoro Governos autoritários»

Francisco Van Zeller, Presidente da CIP

Ora nem mais!

«Este dr. António Borges, que eu não sei quem é e aparece aqui como se fosse uma vedeta, foi fabricado por vocês»

Alberto João Jardim, dirigindo-se aos jornalistas, em pleno Congresso do PSD. Acho que pela primeira vez, tenho de concordar com ele...

quarta-feira, março 22, 2006

Humanismo???

Foi impressão minha ou ontem, na SIC- Notícias, Paulo Portas pretendeu justificar o suposto "humanismo" do seu regime jurídico de imigração com o argumento de que, durante esse período, entraram em Portugal "muito menos imigrantes legais"???

E quantos entraram ilegais? E onde está o humanismo nisso?

(pode ser que Os Acidentais façam o favor de nos explicar...)

terça-feira, março 21, 2006

Pires de Lima quer fazer do CDS um partido sexy

Até já houve quem lhe sugerisse a contratação de Santana Lopes como Consultor.

Advir, Liliput e outras coisas que tais...

Dão-se alvíssaras a quem conseguir decifrar o artigo de opinião (rectius, a alegoria) de Paula Teixeira da Cruz no Expresso do passado Sábado.

Parece que hoje é o Dia Mundial da Poesia...

...mas o Ministério da Cultura decidiu não o comemorar, por falta de verbas!

Ora, pergunto eu: e não haveria alguma maneira de assinalar o dia sem ter de gastar dinheiro???

segunda-feira, março 20, 2006

Ensaio sobre a Cegueira

«On the third anniversary of a war that they once expected to be over by now, President Bush and senior officials argued Sunday that their strategy was working despite escalating violence in Iraq, even as a former Iraqi prime minister once favored by the White House declared that a civil war had already started»

From The New York Times

Na mouche

«Quando a Oposição não quer, não pode ou não sabe opôr-se ao Governo, não resiste ao instinto e faz oposição a si própria»

J. M. Ferreira de Almeida, in Quarta República

Manifs

Tinha ouvido dizer que no Sábado ia haver uma manifestação no Largo Camões para assinalar o terceiro aniversário da invasão do Iraque.

Mas depois nunca mais ouvi falar disso. Será que alguém me pode informar: houve mesmo manif ou nem por isso?

Ah, e não estou a falar - obviamente - das manifs em França, que dessas sim, ouvi falar, e muito. Nomeadamente, pelo João Maia Abreu, que até estava lá, mesmo no meio da violência, a mostrar-nos a arruaça e as detenções, como se de um programa da National Geographic se tratasse...

Resultados da Jornada

Soares Franco perdeu por pouco e prepara-se para a desforra na segunda eliminatória.

Marques Mendes fez de tudo para ganhar: primeiro cedeu por completo ao jogo do adversário e depois adormeceu a plateia para que ninguém reparasse. Os adversários também fizeram de tudo para que Marques Mendes, para já, pudesse ganhar. Enfim, foi um jogo muito táctico...

Ribeiro e Castro ganhou o 1.º round, por falta de comparência dos adversários. E já prepara o 2.º round, onde espera ganhar por KO. Mas é pouco provável que os adversários sequer apareçam no ring, eles preferem continuar a dar pancada no líder pelas costas.

sexta-feira, março 17, 2006

As escolhas de Cavaco

A escolha de Manuela Ferreira Leite e de Marcelo Rebelo de Sousa para o Conselho de Estado diz muito quanto a quem Cavaco pensa que poderá vir a ser o próximo líder do PSD.

O que, por um lado, diz muito quanto à descrença de Cavaco na liderança de Marques Mendes. E, por outro lado, diz muito quanto ao não-apoio de Cavaco às hipóteses de Luís Filipe Menezes ou António Borges.

O que, por sua vez, diz muito quanto à vontade de Cavaco de determinar, condicionar e nortear os destinos futuros do PSD...

conservadorismo social-democrata???

Agora que foi tornada pública a ultra-conservadora equipa de assessores de Belém, onde param aqueles vozes que, durante a campanha, nos andaram insistentemente a tentar convencer que Cavaco é muito chegado à esquerda, que é um social-democrata, que é praticamente de esquerda, etc., etc. etc.?

quinta-feira, março 16, 2006

Notícia de última hora

O Conselho Nacional do CDS, que estava agendado para este fim-de-semana, foi desmarcado.

É que, ao que parece, a banda não podia estar presente...

Os Sportinguistas andam muito contentes

Primeiro, porque o Benfica foi afastado da Taça.

Segundo, porque este fim-de-semana a vitória já está assegurada: vão ganhar ao PSD por dez a quinze mil ... (lugares)

Qual a diferença entre o PSD e o Sporting?

O primeiro vai realizar o seu Congresso na Sala Tejo, com lotação para 2.500 pessoas sentadas ou 4.000 em pé.

O segundo vai realizar a sua Assembleia-Geral na Sala Atlântico (o pavilhão propriamente dito, aquele onde se realizam os concertos), com lotação para 12.900 pessoas sentadas ou 19.000 em pé.

Qual a semelhança entre o PSD e o Sporting?

Ambos se vão reunir, este fim-de-semana, no Pavilhão Atlântico.

Fim-de-semana agitado

Ao que parece, este fim-de-semana vai ser marcado por intensos debates e confrontos emocionantes, que poderão até determinar a queda de alguns dirigentes: vai-se realizar a Assembleia Geral do Sporting!

Regalias desmedidas

A Associação Nacional de Sargentos (ANS) anunciou que vai retomar a contestação contra a "perda desmedida" de regalias sociais dos militares.

Ora, se a ANS considera que houve uma "perda desmedida" de regalias é porque, naturalmente, reconhece que essas regalias eram, em quantidade ou em qualidade, desmedidas!

Chega a ser comovente assistir a tamanha honestidade por parte das corporações...

quarta-feira, março 15, 2006

A clandestinidade e os Partidos II

Segundo Luís Filipe Menezes, o PSD vai ter um Congresso clandestino...

Bom, se calhar o melhor seria LFM denunciar a situação ao SEF para que se proceda à respectiva extradição, não?

A clandestinidade e os Partidos

Luís Filipe Menezes acusou Marques Mendes de querer fazer o Congresso do PSD de forma clandestina.

O que nos leva a concluir que, aparentemente, os partidos políticos em Portugal estão destinados à clandestinidade: uns nasceram nela; outros para lá caminham...

terça-feira, março 14, 2006

O Dicionário de Freitas #2

Topete - parte do cabelo que se levanta e eriça na frente da cabeça [na careca do Telmo Correia?????]; parte anterior da crina do cavalo que desce sobre os olhos; parte mais elevada e saliente da dianteira das cabeleiras usadas pelos palhaços [ahhh, aqui sim, já estou a ver o Telmo Correia]; poupa; (pop.) cabeça; cachimónia; (fig.) descaro; audácia

Ser de topete - ter audácia; ser atrevido (do fr. toupet, «id.»)

O Dicionário de Freitas #1

Solidário com todos aqueles que, por falta de vocabulário, se sentem incapazes de acompanhar a recente polémica em torno dos Cartoons de Maomé, decidi dar aqui início a uma nova rubrica intitulada «O Dicionário de Freitas».

E a primeira entrada, como não podia deixar de ser, é:

Licenciosidade - devassidão; libertinagem; qualidade de licencioso (que, por sua vez, é aquele que usa de demasiada licença; desregrado; devasso; dissoluto; sensual; libertino)

segunda-feira, março 13, 2006

Qual Constituição???

Na televisão, pareceu-me que a Constituição sobre a qual Cavaco jurou era bastante velhinha. O que me leva a suscitar a seguinte questão: será que a dita Constituição estava devidamente actualizada, com todas as sete revisões constitucionais? E, acima de tudo, tratar-se-ia da Constituição na sua versão pré- ou pós-82?

A questão não é dispicienda porque, caso se tratasse de uma versão anterior a 82, isso significa que a Constituição que o novo PR jurou cumprir atribui-lhe um poder totalmente discricionário de demissão do Governo (e não, como depois de 82, limitado aos casos de irregular funcionamento das instituições democráticas)...

Acutilante

O comentário mais subliminar - e, por isso mesmo, mais genial - ao discurso de tomada de posse de Cavaco veio do próprio PM José Sócrates: «quanto à parte da acção governativa, gostei, está em consonância com os desígnios do Governo»

Troca de cadeiras

Ainda a propósito da tomada de posse do novo PR, confesso que o pormenor que mais gostei foi o da troca de cadeiras das Primeiras-Damas. Só não percebo por que não se foi mais longe. Naquele mesmo minuto, os Primeiros-Filhos deveriam também ter trocado de lugares, o Primeiro-Motorista de Sampaio deveria ter cedido o volante ao Primeiro-Motorista de Cavaco, a ex-Primeira-Secretária deveria ter passado a secretária à nova-Primeira-Secretária. Tudo em simultâneo, ao som das salvas disparadas pela Fragata no Tejo. Iso sim, isso é que era uma troca de cadeiras a valer...

sexta-feira, março 10, 2006

As Marias da Presidência

Maria Cavaco Silva sucedeu a Maria José Rita, que sucedeu a Maria Barroso, que sucedeu a Maria Manuela Eanes.

Pronto, já sabemos o que é preciso para chegar a Presidente da República: para além de ter mais de 35 anos e ser Português de origem, é claro, ser casado com uma Maria.

quinta-feira, março 09, 2006

Estabilidade dinâmica

Pela boca de Cavaco Silva, a expressão "estabilidade política" ganhou hoje um novo adjectivo: estabilidade dinâmica, disse ele.

Ora, ninguém - a não ser o próprio - sabe bem o que significa este dinamismo da estabilidade, nem que aplicação ou consequências terá.

O que é certo é que Cavaco vai coleccionando um leque de expressões enigmáticas quanto ao funcionamento do nosso Sistema de Governo, de conteúdo dificilmente apreensível e com uma margem de interpretação bastante fluída: primeiro foi a "cooperação (não institucional, mas) estratégica"; agora é a "estabilidade dinâmica".

Pode parecer um mero jogo de palavras, mas Cavaco Silva não é ingénuo. Ele anunciou que usaria o "instrumento da palavra", logo a utilização destas expressões não é certamente inocente; resta saber com que intuito ele as pronuncia...

Fica, portanto, a dúvida: que água trará este dinamismo no bico?

Condecorações

Ontem, Jorge Sampaio recebeu o Grande Colar da Ordem de Torre e Espada. Hoje, Cavaco Silva decidiu atribuir-lhe o Grande Colar da Ordem da Liberdade.

Por este caminho, qualquer dia o Jorge tem mais colares lá em casa do que a Maria José...

O primeiro Post do resto deste Blog

O dia de hoje marca o arranque de uma nova fase na vida política nacional, que previsivelmente caracterizará o debate político ao longo dos próximos anos.

O dia de hoje marca, também, o arranque deste novo projecto na blogosfera, destinado a acompanhar - com um olhar crítico, bem-humorado e, sempre que possível, acutilante - esses novos tempos que aí vêm.

A ver vamos, como diz o outro...

This page is powered by Blogger. Isn't yours?